Buscar
  • Élpis

De frente com a El!


Olá Hopers!

Sexta-feira, sua linda, até que enfim você chegou!

Como estão? Contem-me tudo e não me escondam nada!

Hoje teremos um bate-papo com nosso poeta, Sérgio Sousa!

Sente-se e conheça um pouquinho mais sobre ele!

1 - Apresente-se para nós.

Sérgio Gonçalves de Sousa, Paulistano, 53 anos, Gerente de Contas, pai de um casal de filhos e formado em Administração de Empresas.


2 – Quando se descobriu autor(a)?

Por volta da quinta ou sexta série do ginásio a professora de português pediu para refazermos nossas redações porque a temática era muito infantil. Nessa revisão, ela leu meu texto para a classe. Gostei da experiência e passei a escrever escondido. Só alguns anos depois comecei a mostrar para as pessoas.

3 – Quais as expectativas de publicar um livro?

Quando os textos do livro atingem o nível desejado e são revisados, a capa e a diagramação são produzidas conforme a vontade do autor, após ouvir todas as sugestões da editora, e o boneco do livro que o autor recebe é o melhor que ele poderia conceber, é motivo de orgulho e de sensação de dever cumprido.


4 – Quais suas ambições?

Apesar de escrever desde a adolescência, apenas aos 50 anos resolvi escrever de maneira séria para participar de concursos que pagassem valores expressivos. Fui convencido por uma editora a publicar e vender meus livros para transformar isto em um negócio que complementasse meu rendimentos mensais. Receber os livros, divulgá-los, vendê-los e apurar o resultado alcançado será o caminho para definir se isto será um hobby, complemento de renda ou profissão. A outra ambição é ser bem avaliado pelos leitores e conseguir a fidelização deles.


5 – Qual seu livro de cabeceira?

A Bíblia, mas, não que eu seja um leitor assíduo. Comecei com as leituras acadêmicas obrigatórias para depois ler quase exclusivamente livros relacionados ao aperfeiçoamento profissional e desenvolvimento de habilidades. Não tenho um autor predileto porque gosto muito mais de escrever do que de ler.


6 – Uma frase motivacional.

Faça o seu melhor e veja se o resultado é suficiente ou descubra como aprimorar-se.


7 – O que o público pode esperar do seu livro?

Poesias de amor em um formato próprio, sem obrigatoriedade de rimas, sem posicionamento convencional para as rimas, gírias, muita reflexão e compartilhamento dos aprendizados que a maturidade e o sofrimento trazem. É um livro que tenta sair do óbvio e propor algo além de frases bonitas. É um mergulho na vida, no que ela tem de melhor e pior! É também uma declaração de amor!


8 – Entre escrever um grande livro cujo tema magoará uma pessoa muito próxima e querida ou jamais escrever um grande livro, o que você escolheria?

Acho que mais importante do que escrever um grande livro é deixar uma marca, contribuir para um mundo melhor, um futuro mais promissor. Aproveitar-se de uma situação, valer-se de temática sexual, propagar o pior do gênero humano ou polemizar por polemizar, poderão servir para o sucesso/escrever um grande livro, mas, certamente não acrescentarão nada à arte literária!


9 – Alguma vez você aprendeu com uma crítica? Se aprendeu, isto mudou seu jeito de escrever?

Sim. Quando eu tinha uns 20 anos mostrei algumas poesias minhas para o poeta Jesus Padilha, autor de Pixoxó da Paraíba. Ele comentou que eu desperdiçava palavras. Fiquei raivoso, a princípio, depois, concordei com o que ele disse e procuro, até hoje, eliminar o desnecessário, redundante ou excessivo.


10 – Realizei-me quando...

Casei e tive meus filhos, mas, realizar-se é uma busca contínua e não cessará antes do último segundo de vida.



Ping-Pong


Amor – Deus

Poesia – Sonho

Vaidade – Desnecessária

Sonho – Sabedoria

Deus – Tudo

Livros – Reinvenção

Uma cor – Branco

Uma comida – Pizza

Um livro – Rastros do Tempo (o meu próximo)

Deixe um recado para os leitores do nosso blog.

Olá, pessoal! É importantíssimo conseguir espaços para divulgar os livros dos inúmeros autores independentes que existem em nosso país. Independentemente de outras prioridades mais importantes e urgentes, a cultura precisa chegar onde ela é necessária e, para isto, é importante que os autores produzam cultura de fato e que os leitores tenham vontade de ler e capacidade para identificar e valorizar as boas obras.

Não existe nada mais frustrante do que escrever um livro e não receber nenhum comentário sobre ele. Por mais que a crítica possa machucar, ela é sempre melhor do que a indiferença.

Por um canal de diálogo permanente entre autores e leitores!!!

Prestigie o autor independente, ele é a certeza da renovação e da possibilidade de evolução da literatura!

Você pode ler o livro do Sérgio em formato digital, pela Amazon, clicando AQUI.


Ou você pode comprar diretamente com o autor, através do Whats 11 95782-1078


Gostaram?

Como diz o autor: a poesia dominará o mundo (tá certo que ele diz que dominará a Hope, mas já colocamos a fala dele numa escala global).


E aguardem que ainda teremos mais novidades com o Sérgio ainda este ano!


Vou finalizando por aqui e nos falamos amanhã com mais uma super entrevista.


Beijocas da El!



24 visualizações

Um universo incrível espera por você.

#SEJAHOPE

19 99920-5213

©2020 por GRUPO EDITORIAL HOPE.