top of page

A ESCRITORA EM MIM

Por: Sue Catelane

Olá, eu sou a Sue Catelane. Sou autora de: Da Areia às Montanhas, a Boa Poesia de Todo Dia e O Enigma; que será lançado em breve pela editora Hope. Hoje vou contar um pouco de como eu entrei no mundo da escrita e porque os livros são tão importantes para mim. Pois assim como a maioria dos escritores, a minha paixão pela literatura aflorou ainda na infância. E ao me descobrir escritora, decidi ir adiante com a minha vocação. Não me imagino sendo ou fazendo outra coisa. Como já disse uma vez: — Que Deus me permita escrever até a tinta dos dias secar. E que assim seja!

Bem, eu ganhei meu primeiro livro de uma tia, no meu aniversário de 5 anos, dali foi o início de uma grande e inseparável amizade. Fui uma criança de muitas folhas e papéis. Não sabia exatamente o que fazer com eles; pois, ainda não sabia escrever. Mas eu precisava manuseá-los. Senti-los. Mais tarde, o primeiro livro que consegui ler foi, Mulan: A garota que se veste de soldado, vai à luta e salva todo o seu reino. Libertador!

Aos 9 anos, tive a melhor redação da escola. O tema era desmatamento, participei então de um evento ao lado da minha mãe e da minha professora. Me lembro de ter apertado a mão de pessoas, tirado foto e ganhado os parabéns que significaram muito para mim. Fui o orgulho da minha família naquele dia. Mais tarde no ensino médio, me lembro da diretora entrar na sala para parabenizar pessoalmente a mim e a outro aluno pela nossa capacidade de produção textual. Parecem só apertos de mão, mas eles me mostraram que eu era capaz.

Uma coisa que lamento muito, é que apesar da paixão pela escrita ser evidente, não tive muito incentivo na infância e adolescência ao consumo dos livros. Não tive pais leitores e não cresci em uma casa cheia de livros; e a escola que estudei, não promovia eventos de fomento à leitura. Ao contrário de muitos, eu não cresci lendo a série Vagalume e só fui saber quem era Machado de Assis na minha vida adulta. Andei pela biblioteca de Várzea Paulista sem saber quais livros eram bons para mim. Escolhi pela capa, pelo título, e foi assim que Agatha Christie virou minha amiga.

Comecei a criar meus primeiros versos com uns 12 anos, fui uma garota de diários, agendas e segredos. Todos confessados ao papel, um bom ouvinte. Ainda assim, nunca me imaginei escritora. Fui publicar meu primeiro livro em 2020. Simplesmente porque queria a chance de dar algo melhor aos meus filhos, ajudar o meu marido. E escrever é a única coisa que sinto e acredito que pode mudar a minha vida e a dos que eu amo. Publiquei A Boa Poesia de Todo Dia, uma reunião dos poemas que guardei de uma vida. Em seguida, o meu romance Da Areia às Montanhas. Não se tornaram best sellers; mas quem disse que por isso preciso parar?

Depois de entender que devemos descobrir quem somos e o que viemos nesse mundo fazer. Assumi as palavras em mim e deixei que mostrassem quem sou. Tenho escrito todos os dias, de poesias e contos a outros romances. E amando a literatura cada vez mais. Talvez eu não entre na lista dos mais vendidos, nem tenha meus livros adaptados como grandes autores. Mas se vir meu nome em uma capa, na vitrine de uma singela livraria... Lembrem-se de mim.

 



Nascida no interior de São Paulo em julho de 1991, Sue Ellen Regina Souza Catelane da Silva é Autora de Da Areia às Montanhas, A Boa Poesia de Todo Dia e O Enigma. Trabalhando atualmente na produção de outros livros; é também mãe, esposa, estudante de Letras e uma grande apaixonada pelas coisas simples da vida.





20 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

SEM SINAL

bottom of page